Notícia

TRT - RJ

TRT-RJ: próximo passo será definir a organizadora

TRT - RJ

 

Os próximos passos do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), rumo ao concurso TRT-RJ 2017 para técnicos (médio e médio/técnico; R$7.260,41 ou R$8.308,17) e analistas judiciários (superior; R$11.35,90 ou R$13.064,99), já confirmado e com previsão de abertura no próximo semestre, serão a primeira reunião da comissão responsável pelo certame, formada no último dia 6, e a elaboração do projeto básico, entregue às instituições que desejam organizar a seleção.

 

O grupo, presidido pelo desembargador Cesar Marques Carvalho, ainda não tem uma data marcada para o primeiro encontro, pois, para isso, era esperada a oficialização da comissão no Diário da Justiça do Trabalho, o que aconteceu na última terça-feira, dia 11. Como a partir desta quarta, 12, o TRT-RJ está de recesso, por conta da Semana Santa, o agendamento dessa reunião deverá acontecer a partir de segunda, 17.

 

Na Resolução Administrativa nº 13/2017, que forma a comissão do concurso e pode ser consultada abaixo, estão confirmados, além do desembargador Cesar Marques Carvalho (presidente), cinco servidores. São eles: desembargador José Geraldo da Fonseca, diretora de Secretaria da Escola de Administração e Capacitação do Servidor, Iete Cavalleiro de Melo Silva, coordenadora de Desenvolvimento, Elizabeth Faustino da Silva, diretora da Secretaria de Gestão de Pessoas, Sônia Regina de Freitas Andrade, e coordenadora de Recrutamento e Avaliação, Renata de Azevedo Amancio de Magalhães.

 

Organizadora deve ser escolhida até junho

 

A comissão não deverá demorar para elaborar o projeto básico do concurso, já que pretende divulgar o edital e aplicar provas no próximo semestre, segundo a diretora de Gestão de Pessoas do TRT-RJ, Sônia Regina de Freitas Andrade. Para que isso seja possível, a organizadora deverá ser oficializada neste semestre.

 
Por isso, acredita-se que o grupo de trabalho demoré até dois meses para elaborar o projeto básico (até maio) e escolha a organizadora até junho. Como dezembro não é um mês comum de se ter provas de concursos, tendo em vista as festas de fim de ano, acredita-se que as avaliações da seleção do TRT-RJ aconteçam, no máximo, em novembro. Para isso ser possível, porém, o edital precisaria sair até setembro.
 

Nível médio é destaque

 

Já estão confirmadas as especialidades do concurso. O destaque do concurso é o técnico judiciário da área administrativa, que exige o nível médio e tem ganhos de R$7.260,41. Haverá chances em várias outras especialidades. Para técnico, serão contempladas também as áreas de Segurança (médio e habilitação na categoria D, com R$8.308,17) e de Enfermagem (médio/técnico e R$7.260,41).

 
Para analistas, as oportunidades serão nas áreas judiciária (bacharel em Direito) e enfermagem, ambos com rendimento de R$11.345,90, e para oficial de justiça (bacharel em Direito e R$13.064,99). O destaque entre os graduados, porém, é o analista administrativo, carreira que exige nível superior em qualquer área e conta com R$11.345,90.
 
O concurso contará com cerca de 50 vagas (cerca de 30 para técnico administrativo), quantitativo passado por Sônia Andrade e que ainda será fechado pela comissão. A seleção visará também à formação de cadastro de reserva, para ser utilizado durante o prazo de validade, de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período. 

 

Perspectiva de muitas contratações. Veja o que estudar

 

Segundo o TRT-RJ, a perspectiva é de muitas contratações, sobretudo em virtude das aposentadorias que vêm ocorrendo, consequentes do anúncio da reforma da Previdência. A tradição do órgão de chamar muitos aprovados confirma isso. A média de convocações do tribunal, considerando os dois últimos concursos, é de 1.320 aprovados. No certame de 2012, quando a oferta foi de 45 vagas, foram chamados 1.068 aprovados, 734 somente para técnico da área administrativa. Para analista administrativo, foram 47, e para analista da área judiciária, 221. No caso do oficial de justiça, foram 66 convocações.

 

Já em 2008, ano do penúltimo concurso, com 84 vagas, foram 1.575 chamadas (993 técnicos da área administrativa e 582 analistas, sendo 413 da área judiciária, 62 da administrativa e 107 de oficial de justiça). As chances de contratação nesse concurso, portanto, são grandes.

 

Muitos benefícios

 

O TRT-RJ oferece aos seus servidores um pacote de benefícios.  Além do horário flexível, com carga de trabalho de sete horas diárias, são oferecidos auxílio-alimentação de R$884 (já somado nas remunerações), auxílio-transporte e programa de assistência à saúde. Há direito ainda a assistência pré escolar de R$699, para quem tem dependentes de ate cinco anos, e auxílio-natalidade de R$556,46. Este último é pago uma vez, assim que nasce o filho de um servidor.

 
O TRT-RJ paga ainda Adicional de Qualificação (AQ). Técnicos judiciários graduados ficam com remuneração de R$7.410,09, pois recebem o AQ de R$149,68 (5% sobre o vencimento). Há ainda AQ por pós-graduação, mestrado e doutorado. Em fim de carreira, um técnico se aposenta com mais de R$9 mil e o analista superando R$15 mil. O regime de contratação é o estatutário, que assegura a estabilidade. Veja sete motivos para fazer o concurso TRT-RJ 2017!
 

Veja o que estudar!

 

A estrutura do concurso do TRT-RJ já está previamente definida, conforme disse a diretora de Gestão de Pessoas, Sônia Regina de Freitas Andrade. Segundo ela, será mantida a forma de avaliação implementada no último concurso, realizado em 2012. De acordo com a diretora, os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva e redação, no mesmo dia, exceto o técnico em segurança, que fará exames objetivo e físico, sendo o último em data posterior.

 

Tendo por base o último concurso do TRT-RJ, em 2012, serão 60 questões objetivas, sendo dez de Conhecimentos Gerais (dez de Português, cinco de Matemática e Raciocínio Lógico e cinco de Informática), com peso um, e 40 de Conhecimentos Específicos, com peso 3. Para técnico, de nível médio, as matérias específicas foram Noções de Direito Constitucional, de Direito Administrativo, de Direito do Trabalho e de Direito Processual de Trabalho.

 

Para analista da área Administrativa as específicas foram Direito Constitucional, Direito Administrativo, Noções de Administração Pública, Direito do Trabalho, Direito Processual do Trabalho, Direito Civil e Direito Processual Civil. Já a redação foi do tipo dissertativa, tendo de 20 a 30 linhas. Essa prova valia 100 pontos, e foi aprovado quem conseguiu 50.

 

Fonte Folha Dirigida