Notícia

TRF 2ª Região

TRF-RJ/ES dá últimas recomendações para provas do concurso

TRF 2ª Região
 
Este domingo, dia 5, será decisivo para 130.559 candidatos do concurso TRF-RJ/ES 2016. Nessa data, serão realizadas as aguardadas provas objetivas, redações e estudos de caso, que poderão resultar na mudança de vida para muitas pessoas. E além de garantir garrafa de água e biscoito, fundamentais na hora da prova, os candidatos do concurso do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-RJ/ES) precisam conhecer o local do exame com antecedência, verificando os melhores meios de transporte. O alerta é do gerente técnico da Consulplan, organizadora, Pedro Fraga.
 
"No domingo pós-carnaval, alguns municípios ainda terão eventos festivos, como o Rio de Janeiro. A Consulplan está tomando a precaução de solicitar aos órgãos oficiais uma maior disponibilidade dos meios de transporte públicos, mas de toda forma é essencial o deslocamento com antecedência. Conhecer o local e os melhores meios de transporte ajudam bastante nisso", orientou o gerente técnico.
 
O local de prova está no cartão, na página eletrônica da Consulplan. São esperados, apenas neste domingo, dia 5, 92.461 candidatos no Rio de Janeiro e 38.098 no Espírito Santo. Nesse dia, o cargo com mais concorrentes é o técnico administrativo, de nível médio, no Rio, com 64.737 inscritos. No total, 16 especialidades (12 de analista e quatro de técnico) terão os exames das 8h ao meio-dia. Para outras oito, as provas serão das 14h às 18h30. A avaliação para técnico, de nível médio, será neste domingo, 5, das 14h às 18h30.
 
Os candidatos deverão se apresentar com uma hora de antecedência, munidos de caneta esferográfica de tinta azul ou preta, feita de material transparente e de ponta grossa, cartão e identidade original. Haverá coleta de digitais e detecção de metais. "É permitido levar água e lanches. Recomenda-se, porém, que os candidatos utilizem garrafas transparentes e sem rótulos, bem como que os alimentos sejam guardados em sacos ou recipientes transparentes, que permitam a verificação", orientou Pedro Fraga.
 
Caso não possa apresentar a identidade, por perda, roubo ou furto, o candidato deverá estar com documento que ateste o registro da ocorrência em órgão policial, expedido há, no máximo 30 dias. É proibido ainda o uso de calculadoras, livros, anotações, impressos ou qualquer outro material de consulta, bem como protetor auricular, lápis, borracha e corretivo. Aparelhos eletrônicos, como celulares, também são proibidos e, por isso, serão recolhidos pelos fiscais. Relógios de qualquer tipo também são proibidos. Bolsas, mochilas e pertences dos candidatos deverão permanecer ao lado ou embaixo da cadeira. A utilização de óculos escuros também é proibida, exceto em casos de correção visual ou fotofobia.
 
Quaisquer acessórios de chapelaria (chapéu, boné e gorro) também não são permitidos. "A liberdade religiosa é garantida a todos os candidatos, porém, por razões de segurança, caso haja algum acessório que restrinja a visualização das orelhas ou da parte superior da cabeça, será solicitada vistoria pela coordenação, com a devida reserva, a um fiscal de sexo masculino ou feminino", alertou o gerente técnico.
 
Serviço
 

Fonte: Folha Dirigida