Notícia

PF e PRF

Setor de transportes pede concursos para PF e PRF

PF e PRF

 

No último dia 23, representantes do setor de transporte de cargas do Rio de Janeiro se reuniram com o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, para reivindicar, entre outros, o aumento do efetivo das policias Federal e Rodoviária Federal, a fim de reduzir o roubo de cargas de cargas no estado. Juntos, os órgãos possuem demanda de concurso para 3.058 vagas.

 

Demanda de concursa a médio prazo 

 

Segundo o presidente da Federação do Transporte de Cargas do Rio de Janeiro, Eduardo Rebuzzi, o aumento de efetivo das duas corporações foi apresentado como uma demanda de médio a longo prazo. “A gente espera que isso possa acontecer dentro de um prazo de um ano, porque o efetivo é insuficiente”, afirmou.

 

De acordo com Rebuzzi, Serraglio prometeu analisar a reivindicações, que incluiam a retomada de operações de segurança no estado e a aprovação de projeto de lei criminalizando o receptador de cargas roubadas. Uma nova reunião deverá acontecer oportunamente para voltar a tratar dos assuntos.

 

Nível superior e iniciais de até R$22,1 mil

 

A intenção da PRF é oferecer 1.300 vagas de policial rodoviário federal, cargo com requisito de formação superior em qualquer área e carteira de habilitação, na categoria B ou superior. A remuneração inicial é de R$9.501,98. O órgão convive com carência de 2.500 policiais e previsão de muitas aposentadorias.

 

Já a PF tem planos de preencher 600 vagas de agente, 600 de escrivão, 491 de delegado e 67 de perito. Somente no cargo de agente, o déficit é de mais de 6 mil policiais, segundo a federação da categoria (Fenapef).

 

Os cargos de agente e escrivão são voltados para quem possui o ensino superior completo em qualquer área, além da carteira de habilitação, na categoria B em diante. Para esses, os ganhos iniciais são de R$11.897,86, também com o auxílio-alimentação, de R$458.

 

No caso de delegado, é preciso ter o bacharelado em Direito e três anos de experiência em atividade jurídica ou policial. Já para perito, é exigida formação superior relacionada à área de atuação (são várias).

 

Ambos os cargos têm também requisito de carteira de habilitação, na categoria B ou superior. Os iniciais para esses são de R$22.102,37 (também com o auxílio). Enquanto a demanda da PF já está em análise no Ministério do Planejamento, o pedido da PRF encontra-se no Ministério da Justiça, dependendo de avaliação do próprio ministro Serraglio para seguir para o Planejamento.

 

Fonte: Folha Dirigida